Copa do Mundo 2018: Quem ganha em educação, Brasil ou Sérvia?

4 Minutos de Leitura
Read Time6 Minute, 13 Second

Os jogos desta quarta-feira (27), marcado para às 15h, definirão quem serão os classificados do Grupo E para as oitavas de finais da Copa do Mundo. Com 4 pontos, a seleção brasileira precisa apenas de um empate em cima dos sérvios para garantir sua vaga nas oitavas de finais. Mas, quando o assunto é educação, quem será que ganha, Brasil ou Sérvia?

Entre os 32 países que participam da Copa do Mundo 2018, há vários sistemas educacionais que podem ser estudados para se ter novas ideias de como melhorar o ensino.

Antes de dar início a esse bate-bola educativo, vamos primeiro falar de alguns aspectos da Sérvia.

Sérvia

Com o território um pouco menor do que o estado de Santa Catarina, os sérvios possuem uma personalidade parecida com a dos brasileiros. É um povo caloroso, sem frescura e que trata todo mundo muito bem. Eles também abraçam, beijam, gostam de uma boa conversa e riem alto. Tem ainda quem fala que os sérvios são os brasileiros da Europa.

A Sérvia era uma república que, junto com a Bósnia e Herzegovina, Croácia, Montenegro, Macedônia e Eslovênia, fazia parte da antiga Iugoslávia, hoje todos independentes. Por causa dessa mistura de etnias, seis línguas são faladas no país: húngaro, sérvio, romeno, eslovaco, rusyn e croata. Na cidades de Novi Sad, todas essas línguas são oficiais.

Educação na Sérvia

Com uma taxa de alfabetização de 98%, a Sérvia se dedica em oferecer um ensino de qualidade aos seus cidadãos. Regulada pelo Ministério da Educação e do Desporto, a educação na Sérvia pode ter início na pré-escola ou na escola primária, que tem duração de 8 anos.

A educação básica começa aos 7 anos e dura 8 anos.  O ano letivo começa no dia 1 de setembro e geralmente vai até o final de junho. A maioria das escolas é pública e gratuita, mas também existem escolas particulares.

Durante os primeiros 4 anos, os alunos são ensinados em grupos de turma. Já  entre o 5º e 8º ano, a educação é baseada em disciplinas. O ensino básico termina com um exame que avalia 3 seções: língua, matemática e um teste de combinação.

O ensino secundário nas escolas sérvias, que equivale ao nosso ensino médio, dura 4 anos e não é obrigatório, sendo focado na preparação para o ingresso nas universidades. Os alunos geralmente iniciam essa fase aos 15 anos.

Os estudantes podem frequentar escolas secundárias gerais ou escolas para educação geral e profissional. Cerca de 90% dos estudantes passam para o ensino secundário depois da escola primária. O restante freqüenta escolas para educação geral e profissional.

Essas escolas oferecem as disciplinas básicas da grade comum curricular, como matemática, língua sérvia, inglês e outra língua estrangeira (como alemão ou francês), biologia, geografia, história, física e química. Algumas dão mais ênfase nas ciências naturais e matemática, enquanto outras priorizam os ciências sociais e línguas.

Os jovens também têm a alternativa de frequentar a escola vocacional secundária. Lá eles podem estudar por 2 anos para obter uma qualificação profissional. Ou permanecer por todo o período de 4 anos para uma maior especialização.

Educação no Brasil

A educação no Brasil é responsabilidade do Governo Federal, dos estados e dos municípios. Ele são responsáveis por gerir e organizar seus sistemas de ensino, de acordo com a Base Comum Curricular. Eles que devem fazer a manutenção, gerir os fundos e recursos financeiros.

O sistema educacional do Brasil é composto pela educação básica, formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio, e o ensino superior.

A educação infantil é a primeira etapa da educação básica. Esse estágio tem a finalidade proporcionar o desenvolvimento integral das crianças em relação aos aspectos físicos, psicológico, intelectual e social,  até atingirem 6 anos de idade. É uma forma de complementar as ações da família e da comunidade na formação dessas crianças.

A educação infantil é oferecida em creches, para crianças de 0 a 3 anos de idade. Também em pré-escolas, para crianças de 4 a 6 anos.

O ensino fundamental é a segunda etapa da educação básica. Ele dura 8 anos e é obrigatório e gratuito nas escolas públicas dos sete anos de idade em diante. Seu objetivo é a formação básica do cidadão.

O ensino médio é a etapa final da educação básica. Ele busca consolidar e aprofundar os conhecimentos aprendidos durante o ensino fundamental. Os estudantes iniciam esse estágio à partir dos 15 anos de idade, onde permanecem por pelo menos 3 anos.

A Constituição Federal de 1988 determina a progressiva extensão da obrigatoriedade e gratuidade da sua oferta. Apesar disso, atualmente a matrícula neste nível de ensino não é obrigatória.

Quem ganha em educação, Brasil ou Sérvia?

O período pós-guerra que as repúblicas da antiga Iugoslávia passaram, deixaram rupturas na históricos desses países, hoje independentes. Há um grande esforço para mudar a mentalidade da sociedade, onde o sistema de ensino praticado em cada uma das três grandes comunidades – muçulmana, sérvia e croata – continua a ser caracterizado por um verdadeiro “apartheid”.

Falar do funcionamento das escolas ou do conteúdo dos programas, pode variar conforme a etnia dos alunos. As diferenças de abordagem existem não apenas no ensino da história ou da geografia, mas também no ensino da matemática e da biologia. Na República Srpska (RS), de etnia sérvia, são utilizados manuais vindos da República da Jugoslávia (Sérvia e Montenegro). Ao passo que os alunos croatas da Herzegovina usam manuais importados da Croácia, o seu país de referência.

Estas diferenças determinam os conteúdos veiculados pelos manuais. Assim, um manual utilizado pelas crianças da escola primária da RS menciona a contragosto a criação e existência do estado bósnio e concentra-se essencialmente sobre os “dois Estados sérvios”: a Jugoslávia e a RS.

No mapa dos Balcãs, no lugar onde se encontra a Federação croato-muçulmana, não existe qualquer referência àquele estado. É como se tratasse de uma terra desconhecida. A obra sublinha que a fronteira entre a RS e a Jugoslávia “divide o povo e os países sérvios” e que ela “não é natural” mas “imposta à força”.  (Fonte: www.apagina.pt)

Falando do Brasil, percebe-se diferenças no ensino ao que se refere ao acesso à educação e sua forma de distribuição. Além das características socioeconômicas ser um ponto agravante no ensino brasileiro, outro ponto relevante é a infraestrutura e o perfil dos professores e diretores dessas instituições.

Esses contrapontos comprovam que essas diferenças é um reflexo das realidades opostas que existem na rede pública de ensino. Se for julgar pelo índice de alfabetização, a Sérvia sairia à frente do Brasil. Nosso país possui um dos maiores números de analfabetos.

 

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

2 Comentários

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *