Neurociência: veja como ela auxilia o trabalho do psicopedagogo

2 Minutos de Leitura
Read Time3 Minute, 6 Second

Você sabe o que é a Neurociência e como ela se aplica no trabalho de um psicopedagogo? Essa ciência está ligada ao estudo do sistema nervoso, sua estrutura e aplicações. Busca entender o sujeito em seus aspectos neurológicos, psicológicos, cognitivos, afetivos e culturais, dentro do processo de construção do conhecimento.

Assegurar o aprendizado dos alunos, de forma que estejam preparados para encarar os desafios da vida, é o que todo profissional da educação espera, mesmo sabendo que não é algo fácil e simples.

Os educadores precisam adquirir competências e habilidades que lhes permitam construir um novo entendimento sobre o processo de ensino-aprendizagem. Ensinar requer uma percepção sobre o funcionamento do cérebro e seu sistema cognitivo, afetivo, motor e social.

É preciso entender como acontece o processo de aprendizagem de forma cognitiva e emocional. E, a partir desse entendimento, ajudar o educando a ter um aprendizado eficaz e que perpetue.

E é nesse ponto que entra a neurociência, pois essa é uma área complementar à da psicopedagogia, e não distinta.

Neurociência e sua influência no trabalho do psicopedagogo

A neurociência ligada ao processo de ensino e aprendizagem, veio para ajudar o psicopedagogo a entender como o estudante assimila o que lhe é ensinado, como seu cérebro armazena esses conhecimentos e o que pode interferir o processo de ensino-aprendizagem.

Dentro desse processo é importante entender o cérebro, sua funcionalidade e seu papel na construção do sujeito a partir de suas relações biológicas, psicológicas, afetivas, emocionais, sociais e motoras.

Nosso cérebro é o responsável pelo entendimento do comportamento humano em suas múltiplas relações e assimilações. Nesse sentido, o trabalho do psicopedagogo é orientado pela busca de novos desafios que ajude o próximo de forma global. Ele incentiva o aluno a adquirir novos conhecimentos e a construir seu próprio discernimento.

Sendo assim, a psicopedagogia, aliada a neurociência da aprendizagem, têm a função de entender como o cérebro se organiza. O psicopedagogo identifica as dificuldades que o educando possui e busca formas de desenvolver seu potencial.

De acordo com estudos recentes na área da Neurociência, entender as atividades cerebrais, saber que há momentos que são mais críticos para adquirir habilidades cognitivas e emocionais e que influencia o sistema nervoso, pode tornar o trabalho do psicopedagogo mais significativo e eficiente, auxiliando a compreensão das dificuldades do educando no processo de ensino-aprendizagem.

Fatores que auxiliam o processo de ensino-aprendizagem

Para que o estudante aprenda bem novos conteúdos e de forma rápida, é preciso que seu organismo esteja bem alimentado, hidratado, descansado e, de modo geral, saudável.

Geralmente, o que fica mais comprometido é o sono, sendo um dos principais fatores para garantir um bom aprendizado. É através do sono o organismo elimina toxinas e trabalha a fixação na memória.

Por isso, cabe ao psicopedagogo pensar em estratégias que possam estimular as habilidades do educando de forma apropriada e segura. O psicopedagogo deve sempre considerar as fases do desenvolvimento infantil e a diversidade cerebral.

Com a ajuda da neuropsicologia, o psicopedagogo pode compreender os processos de aprendizagem e realizar os encaminhamentos apropriados a cada caso, de acordo com as necessidades de cada educando.

Cada pessoa possui uma forma de aprender e construir seu conhecimento. O entendimento neurológico fornece recursos para o educador ter um olhar singular a respeito do intelecto do aluno e sua evolução.

Através dessas habilidades o psicopedagogo se torna capaz de dar assistência tanto para o estudante como para o professor. Assim, ele promove melhorias dentro do processo de ensino-aprendizagem e prevenindo possíveis problemas que possam surgir nesse processo.

0 0
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleppy
Sleppy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

1 Comentários

  1. Jussara

    Responder

    Já tenho graduação em engenharia de produção, gostaria de fazer uma pós Engenharia de segurança do trabalho, porem EAD , com um mais acessível.

Deixar Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *